pteneofrdeites
Compartilhar -

Por: Lohrrany Alvim
11/12/2021 – 10h20

As pesquisas iniciais apontam ainda que a garrafa consegue manter a água fresca e purificada.(Foto reprodução Internet)
 
Imagine uma ideia que pode mudar o mundo. Bárbara Gosziniak Paiva, de 28 anos, estudante de mestrado na Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), criou o Aqualux. Trata-se de um protótipo de uma garrafa que, com o auxílio de radiação e um filtro carregado pela luz solar, esteriliza a água. Isso significa que o aparelho tem o poder de tornar a água potável. Os testes realizados em pesquisas apontam que o conjunto apresenta resultados promissores.
 
Prêmio internacional
Com o protótipo, a pesquisadora conquistou o primeiro lugar na etapa brasileira do concurso internacional de ciência Red Bull Basement. A competição avaliou 443 ideias de todo Brasil e 4.041 projetos do mundo todo. Agora, o projeto vencedor vai disputar a final mundial na Turquia, entre os dias 13 e 15 de dezembro deste ano. O mais interessante é que essa é a primeira competição em que Bárbara participa.
 
O projeto
Nos últimos cinco meses, a mestranda desenvolveu seu projeto e o protótipo de garrafa portátil, que cabe na palma da mão. De acordo com Bárbara, a tecnologia usada na garrafa também pode ser utilizada para tratar água de nascentes, rios e lagos. Neste ano, dados sobre saneamento, divulgados pelo Instituto Trata Brasil, indicam que 35 milhões de pessoas não têm acesso à água potável no país.
“Ao ingerir água contaminada podemos contrair diversas doenças. Em países de baixa renda as doenças diarreicas estão entre as cinco principais causas de morte. Por isso eu desenvolvi esse projeto, que tem o objetivo de democratizar o acesso à água potável, e garantir uma água de qualidade para todos”, ressalta Bárbara em entrevista.
O protótipo é bem parecido com garrafas térmicas comuns, como as de café. No entanto, as informações sobre os materiais e as medidas utilizadas ainda estão em sigilo.
 
Como funciona
Quando colocada na garrafa, a água passa por um processo de três etapas (microfiltragem, esterilização por radiação e refrigeração) para que se torne potável e fresca. As pesquisas iniciais apontam ainda que a garrafa consegue manter a água fresca e purificada.
“Só no Brasil, o número de pessoas que não possui acesso à água potável é de 35 milhões de indivíduos, demonstrando um grande potencial de impacto. O produto agrega valor para a sociedade, e por isso precisamos estruturá-lo enquanto negócio”, comenta Tallis Gomes, fundador da Easy Taxi e da plataforma de educação Gestão 4.0, que foi um dos jurados.

Fonte: Rádio Rio de Janeiro
Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta