pteneofrdeites
Compartilhar -

O Departamento de Assuntos Infantis teve cinco fundadores na Liga Espírita do Estado do Rio de Janeiro, no ano de 1949. Nancy Leite de Araújo, Zita Flora de Almeida, Elmo Carvalho, Silvio Romero de Moraes Sobrinho e Antonio de Souza Lucena. Começamos a distribuir aulas de Evangelização para as Escolinhas de Evangelização dos Centros Espíritas do Rio de Janeiro e mantivemos essa tarefa por  um ano e meio. Não sendo mais possível pelo número de Escolinhas inscritas, Nancy, que era a titular do departamento, decidiu aumentar o número de colaboradores e tivemos diversas inscrições: Acácia Barretto da Motta, Maria Rosa Cavalcante, Flávio de Souza Ferreira e sua esposa Ipoméa.

 

Acácia Barretto da Motta Messano nasceu no dia 21 de maio de 1946, no Rio de Janeiro. Filha de Moysés Cardoso da Motta e Dna. Ibeny Barretto da Motta. Nascida em berço espírita, dedicou toda a sua vida à Doutrina Espírita começando no Centro Espírita Discípulos de Léon Denis, no bairro de Santa Cruz, onde seus pais freqüentavam.

Em 1975, num encontro de evangelizadores da criança, em Macaé, conheceu Roberto de Freitas Messano e seis meses depois aconteceu o matrimônio. Constituíram uma família de quatro filhos: Lúcia, Leonardo, Lívia e Larissa, todos ativos na Doutrina.

Com a presidência do Dr. Antonio Paiva Melo, na Federação Espírita do ex-Estado da Guanabara, houve um progresso muito grande no Movimento Espírita e criaram-se novos departamentos, inclusive o Departamento de Infância e Juventude (DIJ). Acácia, na infância e Darcy Neves Moreira, na juventude. Não se pode medir o trabalho de ambas: Promoveram a realização de  cursos, palestras e tudo o mais relativo à infância e juventude.

Seu esposo Roberto foi empossado como magistrado do Estado de Minas Gerais. Acácia entregou o cargo de evangelizadora e outros compromissos e transferiram-se para Baependi/MG. Um ano depois foram para Abaeté, onde ficaram dois anos e meio até que Roberto fosse transferido para Divinópolis, onde permaneceu por seis anos consecutivos. Em todas essas cidades, Acácia revolucionava o movimento espírita, trabalhando diretamente na Casa Espírita Maria de Nazaré, onde foi eleita presidente, além de atuar na Aliança Municipal Espírita, não deixando de incentivar os filhos em todas as casas espíritas da localidade. Com todas as tarefas, ela encontrava tempo para conciliar o Espiritismo e as atividades domésticas.

No ano de 1988 mudaram-se para Belo Horizonte e ela de imediato foi trabalhar na União Espírita Mineira, que é a federativa estadual, passando a coordenar as reuniões públicas, junto ao CRE. Aproximou-se, também, do Centro Espírita Irmão Glauco e lá exerceu a função de dirigente da evangelização infantil. No mesmo centro, coordenou a creche com 140 crianças, por mais de dois anos, trabalho que ela amava muito. Evangelizar a criança era algo da maior importância.

Acácia desencarnou em acidente automobilístico, na cidade de Divinópolis, deixando imorredouras saudades para todos que tiveram a ventura de a conhecer. Foi uma grande mulher, mãe, amiga e companheira e acima de tudo, um grande exemplo que seguiu  Jesus e  Allan Kardec de todo o coração.

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta

Cron Job Iniciado