pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Dezembro 2021

Sobre o autor

Cláudio Conti

Cláudio Conti

Compartilhar -

As leis humanas visam reger o convívio em sociedade de forma organizada e respeitosa aos direitos individuais. Contudo, estamos acostumados a ver, no mundo em que vivemos, que dentre os legisladores, eleitos pelo povo e responsáveis pela elaboração destas leis, muitos não se sentem, equivocadamente, no dever de cumpri-las. Além disso, as leis são falhas em muitos pontos, dando margem as diferentes interpretações e, assim, há pessoas que buscam estas falhas para se beneficiarem. Podemos considerar que as leis humanas refletem a própria natureza da sociedade.

As Leis Divinas, por sua vez, também refletem a natureza daquele mesmo que as elaborou, por assim dizer. Caso Deus se achasse acima das Leis por Ele criadas e as violasse ou seria para contornar uma falha ou para infringi-las, com isso, o próprio Deus não seria perfeito e, tampouco, as Suas Leis. Em suma, não seria Deus.

Portanto, diferentemente do que ocorre entre os humanos, estas Leis são seguidas inclusive pelo seu Criador, ou seja, pelo próprio Deus. Este entendimento parte da lógica de que Deus é perfeito e tudo que faz compartilha deste atributo, desta forma, Suas Leis são perfeitas. Além disso, ninguém as pode infringir por não serem escritas e/ou interpretadas, mas por se encontrarem no próprio ser, fazendo parte da sua essência.

Estamos acostumados a pensar que leis precisam ser escritas para serem consultadas e postas em ação, tal como as leis humanas, tanto que Kardec apresenta um questionamento sobre onde as Leis de Deus estariam escritas [1]. Mas, não necessariamente é assim. As leis da física estão sempre em ação e não foram escritas para serem seguidas e/ou consultadas, elas fazem parte da própria constituição do universo conhecido, regendo todos os fenômenos. Muitas destas leis foram interpretadas por pensadores e cientistas e, hoje, são conhecidas e transcritas em formulação matemática.

A ação da gravidade entre a Terra e a Lua, por exemplo, não consulta um código de lei para saber como agir, é inerente ao processo da própria existência e da interação entre corpos. Similarmente, as Leis de Deus não são consultadas em um código para se saber como agir, é inerente ao processo da existência e interação entre espíritos.

Está gostando deste artigo? Deseja ler mais?

Por favor faça o login abaixo

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta