pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Agosto 2021
Compartilhar -

Assim como o zinco, o selênio atua no fortalecimento do sistema imunológico, colaborando, portanto, no presente momento, no combate ao vírus da Covid-19. Além de tudo, o selênio blinda as células contra alterações no seu DNA que levam à produção de tumores malignos, como principalmente os cânceres de pulmão, mama, próstata e cólon.

O selênio atua na formação de uma enzima, a glutationa peroxidase, potentíssimo antioxidante celular, reduzindo com ênfase a quantidade de substâncias inflamatórias, essencial no afastamento dos temidos radicais livres. Todas essas ações contribuem para a proteção dos vasos sanguíneos, reduzindo a oxidação do colesterol ruim, o qual é responsável pelas placas de ateroma, entupindo as artérias e sendo responsáveis pela trombose e consequentemente o infarto e o ACV.

É significativo o paciente de Covid-19 estar com seus níveis sanguíneos normais de selênio, desde que o fator letal da pandemia é exatamente a produção desenfreada da cadeia de inflamação, afetando diferentes órgãos, danificando os tecidos do paciente e acarretando desconforto respiratório, insuficiência renal ou problemas cardíacos. Há uma resposta imunológica intensa, uma exacerbada ação inflamatória. O termo tempestade de citocinas vem sendo muito utilizado na Covid-19, para definir exatamente o processo inflamatório intenso que acontece, piorando o quadro clínico do paciente.

O selênio é bem armazenado na tireoide, essencial ao funcionamento da glândula que apresenta forma bem parecida com a de uma borboleta, localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo do Pomo de Adão, produzindo os hormônios T3 (triiodotironina) e o T4 (tiroxina). A deficiência de selênio pode levar a problemas graves no funcionamento do órgão, deixando o metabolismo mais lento e favorecendo o ganho de peso (hipotireoidismo).

O selênio, como anti-inflamatório e antioxidante, ajuda a reduzir as alterações hormonais ligadas ao excesso de gordura, sendo importante no tratamento da obesidade. O excesso de peso favorece o aumento da inflamação no organismo.

Está gostando deste artigo? Deseja ler mais?

Por favor faça o login abaixo

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta