pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Outubro 2021

Sobre o autor

Cláudio Conti

Cláudio Conti

Compartilhar -

A questão do sofrimento ocupa a mente de grande parte da população desde longa data. Muitos se detém no receio, enquanto outros, os pensadores, tentam desvendar os seus mistérios. Dentre os últimos é preciso ressaltar o Príncipe Siddhartha Gautama, mais conhecido como o Primeiro Buda.

Siddhartha Gautama nasceu na fronteira entre a Índia e o Nepal em torno de 2500 anos atrás. A história da vida do Príncipe é muito interessante e rica, especialmente no que tange à sua busca pelo entendimento do sofrimento. Consta que ele vivia em um palácio protegido do mundo exterior até que, um dia, pôde observar o sofrimento em variados matizes na população e foi tocado por profunda compaixão. Assim, partiu em busca de respostas para os seus questionamentos no anseio de esclarecer os outros.

Nesta aventura, Siddhartha estudou com gurus da sua época, todavia, em sua opinião, os ensinamentos não estavam completos. Dedicou-se, então, a uma vida das mais austeras privações, juntamente com outras pessoas que havia encontrado pelo caminho e que compartilhavam do mesmo pensamento com relação às privações. Sidarta pôde, assim, experimentar a vida nas condições mais extremas: luxo e prosperidade de um lado, necessidade e privação do outro. Nenhum dos dois estados o conduziu à compreensão daquilo que buscava.

Ficando convencido de que aquele caminho não o conduziria ao que desejava, decidiu comer, beber e lavou-se em rio próximo. Neste momento, os seus seguidores o abandonaram pensando que havia desistido de seu intento. Fez, então, a coisa mais sensata que poderia fazer: sentou-se para pensar.

Durante vários dias Siddhartha permaneceu, sentado, debaixo de uma árvore, meditando sobre tudo o que ocorrera na sua vida. Durante aquele período, seus pensamentos não se mantiveram apenas limitado na sua presente existência, suas recordações retroagiram para muito antes do seu nascimento, ele tomou conhecimento de suas vidas pretéritas e as conexões existentes no universo inteiro.

Está gostando deste artigo? Deseja ler mais?

Por favor faça o login abaixo

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta