pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Agosto 2021

Sobre o autor

Marcus De Mario

Marcus De Mario

Compartilhar -

As mídias de comunicação têm dado conta da existência de uma nova modalidade sexual envolvendo os jovens, a de combinar uso de drogas excitantes e alucinógenas com orgias sexuais de longa duração, potencializada a energia sexual por essas drogas. Temos aqui graves problemas que merecem análise através do Espiritismo.

A encarnação é dádiva divina para continuarmos o aprendizado intelectual e emocional rumo à perfeição, sendo o corpo um empréstimo do qual devemos dar conta de seu uso. O desgaste das energias orgânicas em extravagâncias sexuais potencializadas pelo consumo de drogas caracterizam um suicídio, com graves implicações para o espírito após a morte, que deverá responder pela falta de amor a si próprio, por objetificar os outros e ter se deixado dominar pelo prazer das sensações materiais, desperdiçando energias que deveria canalizar para o bem comum.

A mistura de sexo e drogas traz ainda outro componente agravante, que é atrair e sintonizar com espíritos inferiores, viciosos, num processo obsessivo de vampirização de energias que levam, inclusive, à desencarnação, em processos de longo curso e difícil tratamento.

O período juvenil, diante dos desafios existenciais, é dos mais complexos, que requer uma boa orientação moral desde a infância, para que a eclosão das energias encontre o equilíbrio do bom senso na construção do bem e do belo, e não a exaltação da sexualidade promíscua e da viciação degradante, ocasionadoras de dependências que aviltam o caráter e rebaixam o espírito a hábitos que trarão um desgaste orgânico precoce, doenças, dependência química e emocional e, em muitos casos, a desencarnação antes da hora programada.

Jovem, não se deixe levar pelas aparências, pelo puro prazer momentâneo, confundindo o amor com o sexo, pois a vida é muito mais do que se entregar a sensações que esgotam e engendram situações conflitantes, psíquicas, morais e espirituais. Procure a excelência da caridade no amparo ao próximo, o estudo consciente para domínio de si mesmo, lembrando que Deus espera de você a construção do bem e do belo no mundo, e não a destruição de si mesmo e dos outros em prazeres desequilibrados que passam, deixando rastros dolorosos, exigindo reparação além do túmulo e em próxima encarnação.

Está gostando deste artigo? Deseja ler mais?

Por favor faça o login abaixo

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta