pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Março 2021

Sobre o autor

Cláudio Sinoti

Cláudio Sinoti

Compartilhar -

Nos últimos tempos existe uma grande expectativa, mais do que justificada, para que todas as pessoas tenham acesso às vacinas que nos imunizem contra a Covid-19. As vacinas representam um grande avanço das ciências, e devemos muito à inspiração e ao espírito observador do médico inglês Edward Jenner (1749 – 1823) o surgimento da primeira vacina. Durante o surto de varíola que ocorreu na Europa, ele observou que as pessoas que ordenhavam vacas não desenvolviam a doença. A partir desse dado, conseguiu chegar à fórmula que imunizou a população.

Mas se de um lado as vacinas para o corpo são fundamentais à saúde da população, não podemos nos descuidar de outras “vacinas”, aquelas que imunizarão a alma de outros graves males que nos atingem. Essas são as “Vacinas para Alma”.

Contra a febre da indiferença, que leva tantos à morte e à fome, devemos tomar muitas doses da Vacina da Empatia. A palavra provém do grego – in=dentro; páthos= sentimento, e dessa etimologia, entendemos que é a capacidade de aproximar-se dos sentimentos de outra pessoa. A empatia possibilita a conexão entre os seres, suas emoções e sentimentos profundos. A desatenção quanto às dores do mundo espalha-se como uma chaga cruel, levando ao sofrimento pelo qual passam muitas pessoas.

Para combater o surto de orgulho e arrogância, se faz necessária a Vacina da Simplicidade e da Generosidade, que nos possibilitarão sermos prósperos, independente dos valores monetários e das coisas que pensamos necessitar, nos permitindo perceber a riqueza da natureza humana e o eterno fluir da Vida, seja na abundância ou escassez de recursos externos.

No combate à ignorância, tanto do mundo quanto de nós mesmos, a Vacina do Autoconhecimento, que nos impulsione a buscar os tesouros existentes em nossa própria natureza, projetando menos nos outros a nossa sombra e nos conectando a um propósito existencial, nos libertando de tudo que não precisamos carregar mais em nossas histórias pessoais.

Está gostando deste artigo? Deseja ler mais?

Por favor faça o login abaixo

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta