pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Novembro 2014
Compartilhar -

MATÉRIA APRESENTADA NO SEMINÁRIO MINISTRADO EM LEOPOLDINA (MG) NO DIA 14 DE SETEMBRO DE 2014 - TEXTOS EXTRAÍDOS DO OPÚSCULO O PASSE E A ÁGUA FLUIDIFICADA - O PASSE INDIVIDUAL PRECONIZADO POR JESUS – PREPARO DO MÉDIUM – PASSE A DISTÃNCIA

No número anterior desse Jornal, publiquei os seguintes tópicos a respeito do tema: Origem do Passe; Conceituação do passe (aplicado individualmente, porque não existe nas obras codificadas por Allan Kardec, nenhuma proposta para aplicação do passe coletivo); Por que aplicar o passe; Fundamentos doutrinários da mediunidade curadora; Classificação dos passes; Centro de forças; Técnicas do passe, e Casos de aplicação dos passes longitudinais apresentados nas obras psicografadas por Chico Xavier, e ditadas pelo espírito André Luiz: Nos domínios da mediunidade, Obreiros da vida eterna, e No mundo maior.

 

Dando prosseguimento ao tema, vejamos outros pontos importantes com relação aos médiuns passistas:

 

8 - REQUISITOS BÁSICOS PARA O MÉDIUM PASSISTA

 

ALLAN KARDEC ensina em Obras Póstumas, primeira parte, parágrafo 62 - "Dos Médiuns" - item 52, :

"A faculdade de curar pela imposição das mãos deriva evidentemente de uma forma excepcional de expansão, mas diversas causas concorrem para aumentá-la, entre as quais são de colocar-se, na primeira linha:

a pureza dos sentimentos,

o desinteresse,

a benevolência,

o desejo ardente de proporcionar alívio,

a prece fervorosa, e

a confiança em Deus;

numa palavra: todas as qualidades morais... ".

 

E, na Revista Espírita, ano 1865, página 255:

(...) A mediunidade curadora racional está intimamente ligada ao Espiritismo, desde que repousa essencialmente no concurso dos Espíritos..."

 

10 - REQUISITOS BÁSICOS PARA OS DESENCARNADOS

QUE AUXILIAM OS MÉDIUNS PASSISTAS:

 

    • André Luiz no livro Missionários da Luz, cap.19 –pontua alguns critérios, segundo o instrutor Alexandre, para os espíritos desencarnados auxiliarem os médiuns passistas:

 

    • diz ele: “(...) na execução da tarefa que lhes está subordinada, não basta a boa-vontade, como acontece em outros setores de nossa situação. Precisam revelar determinadas qualidades de ordem superior e certos conhecimentos especializados.

 

  • O servidor do bem, mesmo desencarnado, não pode satisfazer semelhante serviço, se ainda não conseguiu manter um padrão superior de elevação mental contínua, condição indispensável à exteriorização das faculdades radiantes.”

 

  • O instrutor Espiritual Alexandre, ainda no cap. 19, Missionários da Luz, esclarece:
  • "(...) O missionário do auxílio magnético, na Crosta ou aqui em nossa esfera, necessita:
    • ter grande domínio sobre si mesmo,
    • espontâneo equilíbrio de sentimentos,
    • acentuado amor aos semelhantes,
    • alta compreensão da vida,
    • fé vigorosa e profunda confiança no Poder Divino”.

 

  • Cumpre-me acentuar, todavia, que semelhantes requisitos, em nosso plano, constituem exigências a que não se pode fugir, quando, na esfera carnal, a boa vontade sincera, em muitos casos, pode suprir essa ou aquela deficiência, o que se justifica, em virtude da assistência prestada pelos benfeitores de nossos círculos de ação ao servidor humano, ainda incompleto no terreno das qualidades desejáveis.

 

 

  • 11 - PREPARO DO MÉDIUM

 

  • O êxito do trabalho do passe reclama:

 

1 - Assiduidade - (André Luiz - Nos Domínios da

Mediunidade -Cap. 17):

 

    • "Os trabalhadores espirituais, nas tarefas de passe de casa espírita, assumem suas responsabilidades com seriedade e são "devidamente fichados, assim como ocorre a médicos e enfermeiros num hospital terrestre comum." Por essa razão, podemos entender que a equipe encarnada deve sempre ser a mesma, para favorecer a sintonia. "Em outras palavras, os médiuns devem constituir equipe permanente e fixa, nas reuniões destinadas ao socorro fraterno do passe.

 

  • 2 - Pontualidade - André Luiz, Nos Domínios da

Mediunidade, Cap. 5, registra a pontualidade dos

espíritos, dizendo:

"Faltavam apenas dois minutos para as vinte horas, quando o dirigente espiritual mais responsável deu entrada no pequeno recinto.”

 

  • Obviamente, se os encarnados se apresentam para o trabalho com atraso, no mínimo estão fazendo os espíritos esperar - o que é um contrassenso.

 

  • André Luiz no livro Conduta Espírita, Cap. 11, recomenda: "Entrar pontualmente no templo espírita para tomar parte das reuniões, sem provocar alarido ou perturbações. O templo é local previamente escolhido para encontro com as Forças Superiores."

 

  • 3 - Segurança - não há o que temer, se os nossos propósitos são honestos e se a nossa vontade sincera é servir com Jesus. Mais uma vez citamos André Luiz no livro Conduta Espírita, Cap. 11: "Acostumar-se a não confundir preguiça ou timidez com humildade, abraçando os encargos que lhe couberem, com desassombro e valor. A disposição de servir, por si só, já simplifica os obstáculos."
  • Emmanuel afirma que "alegar imperfeição para não trabalhar, é preguiça".

 

  • 4 - Responsabilidade - André Luiz em Nos Domínios da Mediunidade, Cap. 17, registra que uma das condições para o êxito do trabalho é "a responsabilidade do servidor fiel aos compromissos assumidos"
  • Em Conduta Espírita, Cap. 27, orienta André Luiz: "Ainda mesmo premido por extensas dificuldades, colocar o exercício da mediunidade acima dos eventos efêmeros e limitados que varrem constantemente os panoramas sociais e religiosos da Terra. A mediunidade nunca será talento para ser enterrado no solo do comodismo."

 

  • OUTROS CUIDADOS
  • Alimentação:
  • "O excesso de alimentação produz odores fétidos, através dos poros, bem como das saídas dos pulmões e do estômago,
  • prejudicando as faculdades radiantes, porquanto provoca dejeções anormais e desarmonias de vulto no aparelho gastro-intestinal, interessando a intimidade das células."
  • Depreende-se, portanto, que nos dias de reunião, a ingestão de carne e alimentos pesados devem ser evitados.

 

  • Álcool e outros tóxicos:
  • “Operam distúrbios nos centros nervosos, modificando certas funções psíquicas e anulando os melhores esforços na transmissão de elementos regeneradores e salutares."
  • O médium que ingere bebida alcoólica, em qualquer quantidade, e se apresenta para o serviço, dá enorme trabalho aos espíritos, pois terá que ser isolado para não prejudicar, com fluidos deletérios, os pacientes.
  • Para os que ainda fazem uso do fumo, a redução do consumo de cigarros é, também, uma providência necessária, até a sua exclusão total.

 

12 – PASSE À DISTÂNCIA

 

Na obra Nos Domínios da Mediunidade, André Luiz indagando a Conrado, no capítulo 17 relativo ao "Serviço de Passe", se o passe poderia ser dispensado à distância, recebeu dele a seguinte resposta:

  • "(...) Sim desde que haja sintonia entre aquele que o administra e aquele que o recebe. Nesse caso, diversos companheiros espirituais se ajustam no trabalho do auxílio, favorecendo a realização, e a prece silenciosa será o melhor veículo da força curadora (...)“

 

  • J. Herculano Pires diz o seguinte sobre o assunto no livro Obsessão, O Passe, A Doutrinação:
    • "Não há distância para a ação dos passes. Os Espíritos Superiores não conhecem as dificuldades das distâncias terrenas. Podem agir e curar através das maiores lonjuras. Não obstante, não se deve desprezar a importância do efeito psicológico da presença do paciente num ambiente mediúnico ou da presença do passista junto a ele.
    • Assim, o passe à distância só deve ser empregado quando for de todo impossível o passe de contato pessoal."

 

 

img1

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta