pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Fevereiro 2014

Sobre o autor

Ângela Delou

Ângela Delou

Compartilhar -

Já ouviu este nome? Acha que já ouviu falar, mas não consegue lembrar? E se a pergunta for a seguinte: Você conhece a canção Quanta Luz? Certamente sua resposta será afirmativa! Acredito que esta é a música mais conhecida dos espíritas. O centenário de nascimento da autora da belíssima música Quanta Luz ocorreu em 2003.

 

Cenyra nasceu em São Fidelis/RJ

A pequena cidade de São Fidelis, localizada no norte fluminense, próxima a Campos dos Goytacazes, é conhecida como “Cidade Poema”, devido ao grande número de poetas.

Banhada pelo Rio Paraíba do Sul, possui clima agradável e belíssimas cachoeiras. Conta com a Academia Fidelense de Letras e também com importantes construções históricas. A cidade realiza muitas festas, atraindo turistas o ano todo.

Cenyra nasceu no dia 25 de novembro de 1903. Sua vida não foi fácil. A mãe desencarnou quando tinha 16 anos e o segundo casamento de seu pai não foi como esperavam. Cuidava de sua irmã menor.

Apesar de ter estudado até o 4º ano primário, aprendeu contabilidade e trabalhou como auxiliar de escritório. Ficou conhecida como excelente oradora. Em São Fidelis foi a primeira mulher a falar na tribuna de uma Casa Maçônica. Seus discursos faziam muito sucesso! Arrancava demorados aplausos do público e por esta razão era sempre convidada a participar de outras solenidades.

Aos 20 anos escrevia para dois jornais de sua cidade, para o jornal A Notícia, do Rio de Janeiro, e também para o famoso Jornal das Moças .

Mudança para o Rio de Janeiro

O marido de Cenyra era contador e se tornou sócio de seu pai e com ele fundou em São Fidelis um colégio para ensinar contabilidade e datilografia. Na década de 1930, com a crise econômica do café, o casal mudou-se para o Rio de Janeiro e começou uma nova fase de sua vida de dificuldades e adaptação às novas circunstâncias. Tiveram um único filho.

Medo do Espiritismo

Católica e com muito medo do Espiritismo, certa época, depois de passar por uma dúzia de médicos que não conseguiam explicar o seu desânimo que a impedia de trabalhar, aceitou a sugestão de amigos e, apesar do medo, foi procurar um Centro Espírita.

“Você tem é mediunidade descontrolada!” Foi essa a resposta que recebeu e assim começou seu tratamento espiritual. Em pouco tempo estava curada e voltou a sentir alegria pela vida. Com a frequência ao Centro, os passes e os exercícios de psicografia, mesmo sem nada entender, ali encontrou a paz interior que tanto procurava e também as respostas às suas dúvidas. Recebeu uma mensagem com a assinatura de seu guia espiritual. Tornou-se uma médium disciplinada. Continuou escrevendo e guardando as mensagens. Surgiu assim o primeiro livro cuja venda foi revertida para uma instituição de crianças. Daí por diante sua vida foi dedicada ao bem do próximo.

Escreveu os seguintes livros: Uma voz no silêncio, Levanta-te e anda, Vem!, Eu sou o caminho, a Verdade e a Vida, e Conversa com a vida.

Quanta Luz!

Recebia recados da espiritualidade a qualquer momento. Durante o banho, certo dia, começou a cantar a música e a letra de Quanta Luz. Gravou e assim a canção passou a ser cantada não só nas Casas Espíritas mas nas igrejas católicas, reuniões festivas e de tratamento espiritual, casamentos e sepultamentos.

Depois de Quanta Luz recebeu outros hinos que estão no CD Vozes do Templo.

Ação Cristã Vicente Moretti

Certa noite, Cenyra acordou o marido contando um sonho. Precisava ajudar a instituição espírita Vicente Moretti que passava por grandes dificuldades! Resolveu fazer um show beneficente. “Como vai fazer isto?” - perguntou o marido. O show foi realizado com sucesso e a partir daí muitos outros aconteceram.

Escreveu também peças espíritas como Nos Domínios da Mente e A Última Lágrima. A renda obtida nas apresentações atendia aos hansenianos, deficientes físicos e visuais, portadores de doenças do fogo selvagem... Ajudava aos necessitados, independente da religião.

O médium mineiro Chico Xavier a cognominou “A Seareira do Bem”.

Cenyra Pinto desencarnou na cidade do Rio de Janeiro, em 16 de setembro de 1996, aos noventa e três anos.

Aos queridos leitores, deixo uma sugestão: Quando cantarmos Quanta Luz vibremos em gratidão à bondosa e alegre “Seareira do Bem”, Cenyra Pinto!

Quanta luz, neste ambiente,

Descendo sobre nós,

Vibrando em nossa mente.

Quanta luz, quando assim em prece,

Como a alma cresce

Aos olhos de Jesus.

Quanta luz, pois em oração

A voz do Mestre fala

Ao nosso coração.

Quanta luz descendo sobre nós.

Quanta luz,

Quanta luz...

Fonte: www.grupoespiritaanjoismael.org.br

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado