pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Dezembro 2013

Sobre o autor

Ângela Delou

Ângela Delou

Compartilhar -

     O mês de dezembro é especial para os que amam Jesus, pois comemoramos o seu nascimento. Mesmo que saibamos que essa data escolhida é uma convenção, os corações se unem e buscam a presença do Mestre Incomparável em nosso lar.

     No livro “O Consolador”, psicografado por Chico Xavier, Emmanuel define Jesus como “o divino escultor da obra geológica do planeta”. Jesus, “o amigo divino da humanidade” é o guia e modelo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem e “a doutrina que ensinou é a expressão mais pura da lei do Senhor...”, assim está na questão 625 de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec.

     Os ensinos e os exemplos de Jesus representam o roteiro para a evolução de todos os espíritos em luta na Terra e a iluminação do espírito vem da aplicação do Seu Evangelho de amor.

    

     Maria de Nazaré, a mãe de Jesus

     A proximidade do Natal nos faz lembrar naturalmente de sua mãe.

     Maria nasceu em Nazaré, cidade considerada de pouca importância na Palestina. Estava prometida a José, o carpinteiro e com 15 anos foi visitada pelo anjo Gabriel que revelou sua sublime missão, ser mãe do Messias. Espírito de muita superioridade moral e de importantíssimo papel no advento da Boa Nova, Maria uma jovem mulher em Israel, estava submetida como todas as demais às leis vigentes. Na Lei Mosaica a mulher não era valorizada. O noivado era um contrato e o noivo pagava um dote. A mulher era submetida à vontade do marido e poderia ser repudiada ou apedrejada de morte em caso de adultério.

     Maria aceitou com muita coragem a tarefa de receber Jesus. Emmanuel a denomina como o “Anjo tutelar do Cristianismo.” Grande exemplo de mulher e mãe, o poder de intervenção de Maria, pela sua grandeza espiritual, ultrapassa o nosso entendimento.

     Yvonne do Amaral Pereira

     Lembramos também de D.Yvonne como é carinhosamente conhecida. Amava tanto Jesus que nasceu, no dia 24 de dezembro. Viveu para servir ao próximo e dedicou sua mediunidade e sua vida à Doutrina Espírita.

     Certa vez declarou:

     “As únicas horas de alegria e felicidade que desfrutei neste mundo, devo à prática da Doutrina dos Espíritos, exposta por Allan Kardec, e ao convívio espiritual com as entidades habitantes do Além. O mundo nada me concedeu a não ser o ensejo para resgatar antigas faltas. Por isso mesmo, amo essa Doutrina, sirvo-a com amor, consoante as minhas forças, e certa estou da Verdade que ela encerra, pois o Além tem concedido tesouros morais e espirituais inavaliáveis.”

     Joanna de Ângelis

     No dia 5 de dezembro de 1945 o médium baiano Divaldo Pereira Franco recebeu a primeira comunicação psicografada, ditada pela benfeitora espiritual Joanna de Angelis, em Salvador, Bahia. Até hoje são inúmeros os livros e mensagens de esclarecimento e consolo enviados pela Veneranda Joanna. Conheceu Jesus na figura de Joana de Cusa. Junto aos cristãos primitivos, mais de quinhentos, foi conduzida ao Coliseu e sacrificada na fogueira juntamente com seu filho, no ano de 68 d.C. Segundo informações do escritor Humberto de Campos, no livro Boa Nova, era alguém que possuía “verdadeira fé.”

     Reencarnou na Idade Média, na região da Úmbria, como discípula de Francisco de Assis, o irmão da Natureza. Séculos depois reencarna no México, como Sóror Juana Inés de La Cruz, a primeira feminista de língua espanhola. E, na última encarnação renasce em terras brasileiras, precisamente na Bahia, participando das lutas pela independência do Brasil como Madre Superiora do Convento da Lapa. Chamava-se Joana Angélica de Jesus. Foi assassinada por soldados portugueses à porta do convento conseguindo dessa forma salvar as noviças.

     No século XIX, na espiritualidade integrou a equipe do Espírito de Verdade, para o trabalho de implantação do Consolador Prometido por Jesus, o Espiritismo. Assina duas mensagens, publicadas por Kardec no Evangelho segundo o Espiritismo, como “um Espírito Amigo” trazendo as luzes do Evangelho às almas sedentas de consolação.

     Mensagem de Natal

     Selecionamos os últimos parágrafos da “Mensagem de Natal” psicografada por Divaldo em 11 de agosto de 2012 em Paramirim, Bahia e deixamos como reflexão, aos queridos leitores, com nossos votos de um Feliz Natal:

     “Ante as dúlcidas melodias evocativas do Natal que recorda o momento em que Jesus mergulhou nas sombras do planeta para viver com os Seus discípulos humanos, mantém-te vigilante, procurando descobrir se já O sentes nos recessos do ser e se te entregas, realmente, à Sua programação.

     O Natal é mais do que uma data elegida aleatoriamente no calendário, para assinalar o dia do Seu nascimento.

     É também, o momento em que Ele, nascendo no teu coração passa a comandar a tua existência, nela edificando o reino de Deus que se espalhará por toda a Terra, tornando todas as criaturas melhores e mais felizes.

     Felicidades, pois, no Natal e em todos os Anos Novos da tua jornada terrestr e.”

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado