pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Setembro 2013

Sobre o autor

Ângela Delou

Ângela Delou

Compartilhar -
::cck::254::/cck::
::introtext::::/introtext::
::fulltext::

adelaidecamara     Mulheres extraordinárias, figuras importantes pela dedicação ao Espiritismo no Brasil, continuam desconhecidas por grande parte dos espíritas. Em tempos de anseio de mudanças e em busca de figuras de nobreza de caráter pensamos em relembrar neste mês as admiráveis personalidades: Adelaide Câmara e Anália Franco.

     Adelaide Câmara

     Poetisa, conferencista, contista e acima de tudo educadora. Uma das mais importantes figuras femininas do Espiritismo no Brasil. Deixou excelentes obras em prosa e verso. Escreveu em jornais e revistas, foi fundadora do Asilo Espírita João Evangelista, para crianças, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. Sua maior preocupação era com as crianças órfãs e com os idosos.

     Casou-se em 1906 e, para cuidar da casa e dos filhos, afastou-se das atividades da Casa Espírita, sem afastar-se do Espiritismo. Muito produziu nesse período e publicou as obras "Do Além" e "Orvalho do Céu".

     Adotou o pseudônimo de Aura Celeste. Possuía as mediunidades de cura, de psicofonia, audiência, vidência, psicografia, intuitiva e de bilocação.

     Realizou curas em diversos lugares do Brasil. Os enfermos viam seu corpo perispirítico aplicando-lhes passes e a médium permanecia no Rio de Janeiro. Depois de muito trabalho e muitas lutas, Aura Celeste dedicou seu tempo ao asilo, cuidando dos desprotegidos e abandonados. Para ela a vida humana estava sempre em primeiro lugar. Desencarnou em 1944 deixando uma vasta obra no campo do bem..

     Anália Franco

     Notável educadora, jornalista, poetisa, romancista, musicista, teatróloga, contista e conferencista, trabalhou durante toda a sua vida na difícil missão de amparar, instruir e educar crianças pobres, sem qualquer distinção de crença ou raça. Buscava combater o analfabetismo, a miséria e a ignorância reunindo em torno da "Associação Feminina Beneficente e Instrutiva do Estado de São Paulo" muitas mulheres inteligentes e de boa vontade, para trabalharem no bem social.

     Costumava dizer que "conceber o bem não basta; é preciso fazê-lo frutificar". Foram tantas as escolas, asilos, creches, albergues e outras instituições fundadas por Anália Franco que não se tem o número certo do bem que espalhou e fez frutificar. Amparavam viúvas, mães abandonadas e seus filhos, idosos e órfãos. Criou cursos profissionalizantes de costura, tipografia, chapéus, flores artificiais, escrituração mercantil, música, etc.

     "O nosso fim é procurar diminuir cada vez mais em nosso meio a necessidade da esmola, pelo desenvolvimento da educação e do trabalho, do que provém o bem estar e a moralidade das classes pobres", esclarecia a grande benfeitora.

     Dirigiu, por quinze anos, a revista "A Voz Maternal", destinada às mulheres levando esclarecimentos e despertando o interesse pela questões sociais. Dirigiu também outra publicação chamada "Manual Educativo", distribuído gratuitamente aos alunos.

     O cuidado, o zelo, a limpeza, a higiene eram observados e elogiados pelos visitantes, colaboradores e autoridades que conheciam seu trabalho.

     Além da capital paulista as escolas se espalhavam por mais de vinte cidades totalizando mais de 70 instituições supervisionadas por Anália Franco.

     Muito difícil descrever em poucas palavras a notável obra dessa grande espírita, nascida em Resende, no Estado do Rio de Janeiro. Aos cinco anos mudou-se para São Paulo com seus pais, e lá viveu até desencarnar em 1919.

     Cuidar

     Como é importante o cuidado. O ser humano é essencialmente um necessitado de cuidados, sendo indefeso quando criança e quando idoso também. Todos precisamos de zelos, mas a criança e o idoso não sobrevivem sem ele. E quando a sociedade se afasta disso ela se embrutece e se desestrutura porque foge da sua origem que é ser criada e nutrida pelo Amor de Deus.

     Cuidar do outro é básico, é fundamental para o nosso crescimento espiritual. Sejamos cautelosos com as "sutilezas e praticidades" da chamada vida moderna que nos afastam da essência divina.

     Anália Franco e Adelaide Câmara foram seres humanos muito especiais pois foram cuidadoras considerando-se a lógica divina da evolução. Um cuidando do outro e vice-versa. Que exemplos de vida!

     O Valor da Vida Humana

     Sem alarde, o projeto PLC 3-2013 aprovado na Câmara e no Congresso Nacional, trata de várias questões relacionadas à vida humana e alarga o conceito de violência sexual, obrigando os hospitais do Brasil a encaminharem qualquer gestante que alegue ter sido vítima de violência sexual a um serviço credenciado de aborto.

     Segundo as normas do Ministério da Saúde, não se deve exigir qualquer documento para a prática do aborto, a palavra da mulher é suficiente. Caberá à presidente Dilma Rousseff a decisão de vetar ou sancionar o projeto até o dia 1º de agosto.

     Assim como Anália Franco, Aura Celeste e tantos outros nobres benfeitores, precisamos cuidar da vida. Tudo o que existe e vive precisa de cuidados. Cuidar da criança é responsabilidade nossa - um espírito que reencarna, um filho de Deus.

     Esperamos que, com a Jornada Mundial da Juventude, a presença do Papa Francisco e toda a elevada e alegre ambiência espiritual na qual estamos mergulhados, sejam inspiradores para o necessário zelo a ser adotado com a vida humana - valor maior de uma sociedade ética e moralizada.

     Fiquemos com Jesus!

::/fulltext:: ::cck::254::/cck::
Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado