pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Setembro 2013

Sobre o autor

Ângela Delou

Ângela Delou

Compartilhar -
::cck::240::/cck::
::introtext::::/introtext::
::fulltext::

     MARIE SKLODOVSKA CURIE

     Recordando as nobres conquistas do século XIX encontramos a cientista francesa, de origem polonesa, MARIE CURIE. Nasceu em novembro de 1867, em Varsóvia.

     Foi a primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel, a única a ganhar em dois campos e a única pessoa a ganhar em várias ciências.

     Recebeu em 1903 o Prêmio Nobel de Física e em 1911 o Prêmio Nobel de Química. Descobridora, junto com o marido Pierre Curie, do rádio e do polônio. Depois de exaustivas análises e medições de todos os elementos conhecidos da Química, Marie descobriu em julho de 1898 uma nova substância que denominou polônio, em homenagem ao seu país. Em dezembro do mesmo ano descobriu o rádio. O rádio passou a integrar a relação oficial de elementos radioativos. Julgou, dessa forma, que o rádio poderia ser de grande utilidade à humanidade.

     Realizou conferências na Royal Institution de Londres em 1903 e, nesse mesmo ano recebeu, com seu marido a Medalha Davy, concedida pela Real Sociedade de Londres.

     Indicada como aspirante à Academia de Ciências, não foi nomeada por ser mulher.

     No dia 13 de maio de 1906 passou a ocupar a cátedra de Física, na Sorbonne. Pela primeira vez, na França, uma mulher exercia o magistério superior.

     Em 1995 tornou-se a primeira mulher a ser sepultada no Panthéon de Paris, pelos seus próprios méritos.

     Morreu em 1934 de leucemia pela excessiva exposição à radioatividade, principalmente pelo serviço móvel de raios X, em unidades criadas por ela, durante a I Guerra Mundial.

     ANNA ELEANOR ROOSEVELT

     Jornalista e escritora americana Eleanor Roosevelt nasceu em outubro de 1884, em Nova York e ali desencarnou em 1962. Foi educada na Inglaterra. Esposa do presidente dos Estados Unidos Franklin Roosevelt, Eleanor marcou presença no cenário político da época. Foi diplomata e embaixadora do seu país na Assembléia Geral da ONU, defendeu com energia a política do seu marido e dedicou-se à Assistência Social.

     Quando o presidente deixou de viajar devido a sua invalidez, Eleanor dedicou-se especialmente aos direitos cívicos. Presidiu a comissão que elaborou e aprovou a Declaração Universal dos Direitos Humanos das Nações Unidas.

     Foi chamada pelo presidente Truman de "Primeira Dama do Mundo" em homenagem às suas conquistas referentes aos direitos humanos.

     Escreveu vários livros políticos, inclusive alguns tratando da situação feminina na sociedade.

     Durante toda a sua vida teve ativa participação na política. Presidiu a comissão "Presidencial sobre o Status da Mulher" na administração de John Kennedy, reacendendo as questões do feminismo. Grande defensora dos direitos humanos, Eleanor trabalhou, principalmente, para melhorar a vida das mulheres no trabalho.

     Muitas de suas frases tornaram-se célebres. Pense nestas:

     "Ninguém ganhou a última guerra nem ninguém ganhará a próxima."

     ..............

     "O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza de seus sonhos."

     ...............

     "O meu maior medo foi sempre o de ter medo - física, mental ou moralmente e deixar-me influenciar por ele e não por sinceras convicções."

     ...............

     "Você precisa fazer aquilo que pensa que não é capaz de fazer."

     ...............

     ENSINA A DOUTRINA ESPÍRITA

     Uma das questões mais inquietantes da atualidade é o convívio com os problemas sociais, caracterizados pelas desigualdades, violência e a indiferença de muitos. Já sabemos que esses problemas decorrem, em resumo, da presença do orgulho e do egoísmo.

     Com que propósito almas nobres como Madame Curie, Eleanor Roosevelt e tantas outras encarnam na Terra? Não temos dúvida que espíritos missionários aqui chegam para o cumprimento da lei divina do amor. Servem de alavancas que impulsionam o progresso da humanidade. Certamente aspiram um mundo melhor e por essa razão dedicam-se inteiramente ao bem comum.

     Ensina a Doutrina Espírita que o espírito encarnado é um ser imortal e caminha inexoravelmente ao progresso. Há Leis que regem a vida, Leis que emanam do Criador e que são expressões de Seu Amor. A Doutrina Espírita coloca ao alcance e a serviço da humanidade todos os conhecimentos que valorizam o ser espiritual, eterno e considera de menor importância os valores materiais, os quais cada um de nós é um administrador temporário.

     Esse é o grande desafio dos novos tempos de preparo da Humanidade para um mundo regenerado. Importante lembrar a grande contribuição desses espíritos nobres nesse mundo do futuro onde a Lei do Amor será vivenciada por todos. Amar é a grande meta!

::/fulltext:: ::cck::240::/cck::
Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado