pteneofrdeites

Sobre o autor

Fabiano Henrique

Fabiano Henrique

Compartilhar -

Entre os dias 9 e 14 de julho São Paulo foi palco do Congressão Esperantista 2011. Aconteceram simultaneamente o 8º Congresso Pan-Americano, o 46º Congresso Brasileiro e o 31º Congresso Jovem de Esperanto. Os eventos foram organizados pela Liga Brasileira de Esperanto, Comissão para as Américas da Associação Universal de Esperanto e Organização da Juventude Esperantista Brasileira. As Faculdades Santa Marcelina, no bairro de Perdizes, abrigaram o evento.

A solenidade de abertura começou às 20h do dia 9. Aproximadamente 400 pessoas lotaram o auditório. Ao todo, foram 60 palestras. O ecletismo dos temas chamou a atenção dos congressistas estrangeiros, que não pouparam elogios.

O programa que mais despertou a atenção dos congressistas foi o Primeiro Festival de Cinema Esperantista. A organização da mostra ficou a cargo do russo Aleksander Osincev. Foram quatro dias com filmes falados, dublados ou legendados em esperanto.Image

Foram lançados dois CDs e ocorreram diversas apresentações musicais. Um deles foi o disco póstumo Esperanto: Mia Pasio, de Vera Jordan. Nessa reunião, o espírito da artista ditou mensagem ao médium Adilson Ramos, agradecendo a homenagem. A cantora carioca Dirce Salles pôs o auditório para dançar durante o show de lançamento do CD Jen Mi.

A editora Lorenz deu ao público o Almanako Lorenz 2011. O maestro colombiano Alfredo Aragón proferiu palestra sobre a publicação de sua obra Muzika Terminaro. Paulo Sérgio Viana traduziu e editou La sekreta kaŭzo kaj aliaj rakontoj, contendo contos de Machado de Assis. Sebastião Pimentel palestrou sobre o recém-publicado Jes, Sinjoro! Vikto Vivas. José Dias Pinto lançou Partikularaĵoj de blonda knabino. A professora Katalin Kováts promoveu Stelsemantoj en la ora nordo. A Legião da Boa Vontade realizou a sessão de lançamento de Meditadoj el la Animo, do escritor José de Paiva Netto. A instituição publicou também o livreto infantil Feliĉpromeso el la Prediko de Jesuo sur la Monto e reeditou as obras Ruĝa Fiŝeto, Mallaborema Formiko, Furnario e Naskiĝo de Jesuo.Image

Amarílio Carvalho emocionou o público ao encarnar o Mártir da Independência no monólogo Joaquim José, fidoplena martiro, com apresentações em português e esperanto.

A professora húngara, radicada na Holanda, Katalin Kovats, aplicou os exames de proficiência do Quadro Europeu de Referência (KER-Ekzamenoj). Os brasileiros foram elogiados pelo alto aproveitamento.

Um clima de ecumenismo dominou o Congressão 2011. A capela, situada no saguão das Faculdades Santa Marcelina, teve seu altar respeitosamente forrado com a bandeira do Esperanto. Naquele local eram realizadas, todas as manhãs, reuniões de prece, organizadas pela União Internacional Católico-esperantista (IKUE).

O movimento espírita comemorou os 120 anos de nascimento de Ismael Gomes Braga em palestra apresentada por Paulo CarvaImagelho. Ocorreu também a concorrida Reunião dos Amigos da Editora Lorenz, com preleção de José Passini. No último dia de atividades, Osmar da Silva Alves abordou a vida e a obra do médium Chico Xavier.

O Congressão 2011 marcou o início das comemorações dos 25 anos do programa Esperanto, a Língua da Fraternidade. Fabiano Henrique palestrou e homenageou o comunicador Givanildo Costa. No dia 12, a Rádio Rio de Janeiro transmitiu direto do local do evento.

Os 60 anos da Cooperativa Cultural dos Esperantistas foram comemorados durante sessão coordenada pelo radialista Givanildo Costa. O movimento esperantista cubano foi apresentado por Alberto Calienes, presidente da Comissão para as Américas da Associação Universal de Esperanto. Márcio Santos promoveu o fórum Como anda a nossa divulgação? James Piton coordenou a reunião da Rede de Delegados da UEA. A Liga Brasileira de Esperanto realizou sua reunião anual.

O próximo Congresso Brasileiro de Esperanto ocorrerá entre os dias 15 e 19 de janeiro de 2012, em Taguatinga (DF).

 

Image

Image

Image

 

 

A minha mente

Médium: Adilson Ramos (Pe. Miguel E-grupo)

O que é a minha mente? A minha mente sou eu em tudo. Tudo que faço, que planejo e o que sinto.

As dores são pequenas lembranças de um passado que já se foi e que não volta mais.

Não volta mais porque já se apagou.

A minha mente hoje são lembranças boas.

Quando me dediquei a cantar e fazer musicas em esperanto e para os esperantistas, a minha primeira intenção era a fama.

Que fama?

Logo a seguir, compreendi e aceitei como uma terapia da alma.

Compondo e cantando esquecia completamente a doença.

Mas, que doença?

Quem estava doente era o corpo, eu não.

Hoje o Givanildo falou o meu nome e fui atraída para esta reunião.

Que alegria!  Todos os presentes prestando uma homenagem.

Não a mim, pois agora eu sei que fui apenas um pequeno instrumento de divulgação desta língua, ou como queiram, deste idioma.

A homenagem não pode ser dirigida a ninguém!

Seja esta ao instrumento de divulgação do amor universal.

Homenagem a este que nos ensinou a amar.  O nosso Mestre Jesus.

Se existe homenagem, que seja a Zamenhof.

Que seja ao Esperanto.

Quando ouvirem estas músicas, não precisa me agradecer nada, nada. Agradeçam ao Esperanto que nos proporcionou esta reunião.  Vocês não sabem, mas, aqui estamos vários amigos dedicados.

Givanildo, um abraço. Continue divulgando o Esperanto.

Beijos carinhos desta Amiga,

Vera J.

(São Paulo, 10 de julho de 2011, às 10h43, 46º Congresso Brasileiro de Esperanto)

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado