pteneofrdeites

Sobre o autor

Dirceu Machado

Dirceu Machado

Compartilhar -

Professor de Lógica e de Ética e pesquisador psíquico proeminente, James Hervey Hyslop nasceu em 18 de agosto de 1854, em Xenia, Ohio. Foi educado no Wooster College, Ohio (BA, 1877). Estudou na Universidade de Leipzig (1882-1884), e obteve seu Doutorado na Universidade Johns Hopkins (Ph.D., 1877). Foi um dos primeiros psicólogos americanos a conectar a psicologia com os fenômenos mediúnicos. Devido a sua grande cultura e capacidade de trabalho, foi convidado a se tornar membro do Departamento de Filosofia da Universidade de Columbia como professor de Ética e Lógica, período em que se envolveu profundamente com a pesquisa psíquica e com os fenômenos mediúnicos.

Primeiras Pesquisas

Em 1888, época em que os fenômenos mediúnicos eram bastante difundidos e estudados em várias partes do mundo por cientistas de renome, resolveu também pesquisá-los. Sua intenção, como a de inúmeros outros pesquisadores que se dedicaram ao estudo dos fenômenos espíritas, era a de demonstrar que não passavam de fraude e, como pesquisador psíquico que era, associar as comunicações mediúnicas a fenômenos de dupla personalidade ou de personalidades múltiplas do médium.

A dupla personalidade é um transtorno de personalidade com características ainda discutidas no meio acadêmico e científico. Atualmente, o transtorno de dupla personalidade é denominado como Personalidade Dissociativa.

Desta forma, no transtorno de dupla personalidade, ou de personalidades múltiplas, poderiam acontecer relatos da pessoa como se esta pudesse observar e opinar sobre a personalidade coexistente, ou ao contrário, não ter consciência dela, estando a nível inconsciente.

Hyslop entrou em contato com a médium Leonora Piper, que era bastante conhecida e respeitada nos Estados Unidos e, desta forma, iniciou seu contato com o mundo espiritual. Já na primeira reunião obteve mensagens de parentes desencarnados e, particularmente, de seu pai. O teor das mensagens eram tais que somente ele teria conhecimento; mas, mesmo assim, continuou com suas dúvidas. Aprofundou em suas pesquisas de tal forma que, finalmente, se convenceu da veracidade dos fenômenos. Participou de 205 reuniões, das quais obteve 152 comunicações, todas de teor pessoal e completamente desconhecidas da médium.

As personalidades dos comunicantes foram tão convincentes que, após 12 sessões, ele declarou publicamente: "Eu tenho falado com meu pai, meu irmão, meus tios. Seja qual for o poder supranormal que possa ser atribuído a personalidades múltiplas da Sra. Piper, seria difícil fazer-me acreditar que estas personalidades secundárias poderiam ter, assim, reconstituído completamente a personalidade dos meus parentes mortos. Admitir isso seria envolver-me em muitas improbabilidades”.

Dedicação Integral

No início do século 20, adoeceu gravemente, o que o levou a se aposentar de seu cargo de professor da Universidade de Columbia. Com mais tempo para suas pesquisas, fundou o Instituto Americano para a Pesquisa Científica, com o intuito de angariar fundos para a pesquisa psíquica. No entanto, em 1905, Richard Hodgson, o principal pesquisador e presidente da Sociedade Americana para Pesquisa Psíquica (ASPR), morreu. No ano seguinte, a ASPR foi dissolvida. Hyslop tomou a iniciativa de reviver a Instituição como uma seção de seu Instituto e, pouco tempo depois, a ASPR absorveu e dominou o Instituto por completo.

Hyslop, um pouco autocrático, dirigiu a ASPR pelo resto de sua vida. Ele assumiu o papel de Hodgson como investigador-chefe da mediunidade diversificada da Sra. Piper. Em janeiro de 1907, publicou a primeira revista da Instituição com os resultados de seus estudos, tendo como colaboradores Hereward Carrington e Walter F. Prince. Hyslop tornou-se um importante divulgador da sobrevivência do homem após a morte do corpo físico. Em seu trabalho intitulado Vida Após a Morte, publicado em 1918, declara:

“Eu considero a existência de espíritos desencarnados como cientificamente comprovado, e eu já não considero o cético como tendo o direito de falar sobre o assunto. Qualquer homem que não aceita a existência de espíritos desencarnados e as provas deste fato, ou é ignorante ou um covarde moral. Dou-lhe pouca atenção, e não me proponho a perder mais tempo em discutir com ele.''

Personalidade múltipla e obssessão

Hyslop também contribuiu com muitas teorias engenhosas para a literatura psíquica. Ele fez um profundo estudo sobre a personalidade múltipla e a obsessão, e chegou à conclusão de que, em muitos casos, poderia ser atribuída à possessão de espíritos. Em seu testamento, ele deixou dinheiro para a fundação de um instituto para o tratamento da obsessão através da intervenção dos médiuns.

Hyslop morreu em 17 de junho de 1920, de problema circulatório, em Upper Montclair, New Jersey. A evidência de comunicações de Hyslop, pós-morte, é relatada por sua secretária, Gertrude O. Tubby, em seu livro James Hyslop X. - Seu Livro (1929).

Principais publicações

Suas principais publicações foram:

- Contato com o outro mundo: as últimas provas como a comunicação com os mortos (1919).

- Vida após a morte, os problemas da vida futura e sua natureza (1918).

- O caso Smead (1918).

- Poemas, originais e traduções (1915).

- O caso Doris de personalidade múltipla: uma biografia de cinco personalidades em conexão com um só corpo e um registro diário de um processo terapêutico terminando na restauração do membro primário à integridade e continuidade de consciência (Com Prince, Walter Franklin - 1915-1917).

- Pesquisa psíquica e sobrevivência (1913).

- O caso Thompson (1913).

- Presidente G. Stanley Hall e Dr. Amy E. Tanner - estudos no espiritismo (1911).

- Um registro e discussão de experiências mediúnicas (1910).

- Pesquisa psíquica e da ressurreição (1908).

- Enigmas da pesquisa psíquica (1906).

- Fronteiras da pesquisa psíquica (1906).

- Ciência e a vida futura (1905).

- O estado mental dos mortos: uma limitação para a investigação psíquica (1905).

- Problemas da filosofia, ou, os princípios da epistemologia e metafísica (1905).

- A ética dos filósofos gregos, Sócrates, Platão e Aristóteles - palestra proferida na Brooklyn Ethical Association, reunião de 1896-1897 (1903).

- Novos registros de observações de certos fenômenos de transe (1901).

- As necessidades da pesquisa psíquica (1900).

- Currículo de psicologia (1899).

- Democracia: um estudo de governo (1899).

- Lógica e da argumentação (1899).

- Elementos de ética (1895).

- Elementos de psicologia (1895).

- Liberdade, responsabilidade e punição (1894).

- Anomalias na lógica (1894).

- Tratado de moral - seleções do Tratado das paixões (1893).

- Os elementos da lógica, teórica e prática (1892).

James Hervey Hyslop é mais um exemplo de Grandes Cientistas que se convenceram e estudaram os Fenômenos Mediúnicos.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado