pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Dezembro 2017

Sobre o autor

Jacob Melo

Jacob Melo

Compartilhar -

Estudar, além de ser sempre bom, faz bem, é necessário e se transforma em fonte de conquistas para quem estuda. Não estudar, quase sempre, é fonte de ignorância. A partir daí já fica delineado que, por definição, a grande opção da sabedoria é buscar sabedorias através de estudos.

E se estudamos para dar base aos desenvolvimentos que todos buscamos – e a partir de então se chegar ao sucesso nos campos da própria escolha – então é decisão de sabedoria se buscar essa alavanca de crescimento e progresso.

Mas, por que estudar o Magnetismo?

É simples a resposta: para se conhecer melhor, se entender e se tirar os grandes proveitos que a Vida oferece. Isto porque Magnetismo é, por definição, vida. E embora costumemos dizer que onde há vida há Magnetismo, talvez devêssemos dizer que onde existe magnetismo aí tem vida.

Fala-se muito de fluido vital e de que tal fluido é vital para a vida – perdoem-me a redundância. E é verdade; o fluido vital é o principal elemento da vida, pois é ele quem favorece ao funcionamento dos órgãos, abstração feita à presença do Espírito, que é o ser agregador dessa energia. E se o fluido vital é a base primordial do Magnetismo, então não temos como afastar um fato do outro, ou seja: se temos vida, somos seres magnéticos.

Quando falamos de que a mente é quem comanda os procederes orgânicos, podemos deduzir que melhores respostas orgânicas poderão ser obtidas por quem melhor dominar o saber de como se formatar os elementos básicos da própria vida. E não falo apenas de vida em sentido específico de se estar vivo, mas em se emprestar qualidade à vida, seja vencendo dificuldades como superando desafios.

Quando se estuda o Magnetismo descobrimos que muitas ciências, mesmo sem se darem conta, estão usando padrões magnéticos para chegar às suas conclusões e respostas. Por exemplo: quando a psicologia ou mesmo a neurolinguística orientam que tenhamos ou exerçamos melhor controle sobre a mente e as palavras, no fundo estão pedindo que cuidemos melhor de nossas energias vitais, pois que estas tanto expelem vibrações como essas mesmas vibrações repercutem e ecoam nos vários sistemas da vida, especialmente os orgânicos. Também vislumbramos o mesmo elemento vital como a responder por um sem-número de alergias ou doenças do sistema imunológico, já que estas sempre solicitam interferências interdisciplinares, que arremetem para os cuidados com as vibrações em que nos mantemos, portanto, às energias ou aos campos vitais.

A oração, definida por Allan Kardec como magnetismo espiritual, é outra forte evidência de que o mesmo Magnetismo está atuante nos processos emocionais, morais e intelectivos.

Ora; se em tantos e tão vastos campos o Magnetismo está presente, por que não estudá-lo?

Se estudarmos direitinho o Magnetismo teremos novas e ricas propostas para entender melhor as questões dos relacionamentos humanos, de como se verificarão os processos reencarnatórios, de que maneira as reuniões e atividades mediúnicas poderão ser melhor entendidas e mais eficientemente aplicadas, como compreender os “milagres” prodigalizados por Jesus e tantos outros missionários, e mais ainda, como ajudar as criaturas a serem curadas, a se curarem, a se fortalecerem mutuamente...

Sendo o Magnetismo, de certa forma, um tanto quanto fugidio, pois que não se limita ao corpo orgânico e vai além do que costumamos chamar de aura, duplo etérico e campos psíquicos, com muito mais razão e ênfase devemos nos empenhar em estudá-lo para termos, por mínimo que seja, um certo domínio desses campos que tanto interferem e definem nossos “destinos”.

Estudar o Magnetismo é ir muito além de se pretender aplicar um passe ou possuir varinhas mágicas. Estudar Magnetismo é procurar entender a vida, em sua forma mais profunda, enriquecendo-a com novas abordagens e práticas, tudo embasando numa lógica divina, posto que justa e perfeita.

Estudar o Magnetismo é muito mais do que cursar uma disciplina; é sim mergulhar na mais fascinante de todas as Ciências, a qual a academia não conseguiu conter em seus padrões, já que ela é universal e pertence a toda e qualquer criatura que deseje dela servir-se, servindo a si próprio e à própria humanidade.

Por que estudar o Magnetismo? Porque é preciso se estudar a Vida!

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado