pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Dezembro 2017

Sobre o autor

Itair Ferreira

Itair Ferreira

Compartilhar -

       João, o evangelista, o discípulo amado, como ficou conhecido por muito amar e por ter sido o único que esteve com Jesus durante todo o tempo, nos três anos de Sua epopeia divina mesmo nos momentos derradeiros da cruz, ao terminar o seu Evangelho, dando o testemunho sobre Jesus e os seus atos, assim se expressou:

       “Este é o discípulo que dá testemunho a respeito destas coisas e que as escreveu: e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro.

       Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos”. (1)

       Jesus, o Cristo, o Messias (Ungido), em grego e em aramaico, respectivamente, foi e é a personalidade mais discutida em toda a história da humanidade, como bem se expressou o apóstolo João. Jesus é o nosso irmão Maior, o Governador Espiritual da Terra, o intérprete de Deus, como Espírito Puro.

Quando a humanidade chegou ao momento da evolução em que se fez necessário consolidar as leis de Deus, que estão inscritas na consciência do Espírito, o Cristo prodigalizou a primeira revelação da lei de Deus.

O Cristo e os seus prepostos entregaram a Moisés, missionário escolhido para esta revelação, as Tábuas da lei. Nelas, o Cristo mandou esculpir a primeira lei de adoração ao Pai Celestial: Amar a Deus sobre todas as coisas. Diz o sábio e bondoso Espírito Emmanuel: “É quando Moisés então recebe, de emissários do Cristo, no Sinai, os dez sagrados mandamentos que, até hoje, representam a base de toda a justiça do mundo”. (2)

Deus jamais falou diretamente com quem quer que seja na Terra. Naquela época, o Cristo apresentou-se com o nome Eu Sou. Quando perguntado por Moisés qual era o seu nome, respondeu: “Assim dirás aos filhos de Israel: Eu Sou me enviou a vós outros”.

O sábio e bondoso Espírito Emmanuel, nos esclarece, no livro A Caminho da Luz, que Jesus acompanhou todos os passos do povo comandado por Moisés nos quarenta anos no deserto, nos mais delicados momentos de sua vida e foi ainda, sob a luz da sua proteção, que se organizaram os reinos de Israel e de Judá, na Palestina.

Posteriormente, veio Ele mesmo, o próprio Cristo, trazer-nos a segunda revelação da lei de Deus – A Lei do Amor – com o nome de Jesus – Jeshua Ben Youssef –, através de seus exemplos de paz e de solidariedade, mostrando como se faz, fazendo. Apresentou-se sempre como o Filho de Deus, cumprindo a Vontade do Pai.

Na primeira reunião com os discípulos, exortou a fidelidade a Deus, como consta na lição sexta do livro Boa Nova, do Espírito Humberto de Campos, psicografado por Francisco Cândido Xavier.

Em três anos de missão, o Divino Mestre exemplificou o amor, consolidando-o nos corações de todos aqueles que com Ele estivera e instituiu o reino do amor na Terra, prometendo para os tempos do porvir o Consolador, o Espírito da Verdade, que nos ensinaria todas as coisas e nos faria lembrar de tudo o que nos dissera.

Surge então a terceira revelação da lei de Deus, o Consolador prometido, o Espiritismo. O Cristo, o Espírito da Verdade, trouxe-nos a lei da caridade, ostentando a bandeira: Fora da caridade não há salvação. (3)

Em O Livro dos Espíritos, marco inicial da Doutrina dos Espíritos, o Espírito da Verdade intuiu o Codificador, o insigne Allan Kardec, a numerar como primeira questão a pergunta: Que é Deus?

A seguir, todas as questões posteriores, até a 16ª, elucidam sobre Deus.

       Allan Kardec, em O Evangelho Segundo o Espiritismo, escreveu: “Assim como o Cristo disse: “Não vim destruir a lei, porém cumpri-la”, também o Espiritismo diz: “Não venho destruir a lei cristã, mas dar-lhe execução”. Nada ensina em contrário ao que ensinou o Cristo; mas, desenvolve, completa e explica, em termos claros e para toda gente, o que foi dito apenas sob forma alegórica. Vem cumprir, nos tempos preditos, o que o Cristo anunciou e preparar a realização das coisas futuras. Ele (o Espiritismo) é, pois, obra do Cristo, que preside, conforme igualmente o anunciou, à regeneração que se opera e prepara o reino de Deus na Terra”. (4)

       Disse Jesus: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira; assim nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim.

       Eu sou a videira, vós os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”. (5)

       Allan Kardec, na organização de O Livro dos Espíritos recebeu a incumbência de colocar a cepa, desenhada pelos Espíritos, no cabeçalho dos prolegômenos, representando o tronco da videira, conforme estas palavras de Jesus, agora com a seguinte orientação:

       “Porás no cabeçalho do livro a cepa que te desenhamos, porque é o emblema do Criador. Aí se acham reunidos todos os princípios materiais que melhor podem representar o corpo e o espírito. O corpo é a cepa; o espírito é o licor; a alma ou espírito ligado a matéria é o bago. O homem quintessência o espírito pelo trabalho e tu sabes que só mediante o trabalho do corpo o Espírito adquire conhecimentos”. (6)

       “Espíritas! Amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo”. (7)

       Diz o Espírito André Luiz, no livro Conduta Espírita, na lição 47, intitulada Perante Jesus:

       “O homem que exige seja o Cristo igual a ele, pretende, vaidosamente, nivelar-se com o Cristo. Somos o rebanho, Jesus é o Divino Pastor”.

       “— Ave, Cristo! Os que aspiram à glória de servir em teu nome te glorificam e saúdam!” (8)

            Muita paz!

Dados bibliográficos:

1– A Bíblia Sagrada – João Ferreira de Almeida – João. 21, vers. 24 e 25.

2 – A Caminho da Luz – Emmanuel – Francisco Cândido Xavier – pág.67 – Feb.

3 – Quem é o Espírito da Verdade? – Jornal Correio Espírita – janeiro de 2013, do autor.

4 – O Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec – Cap. I. item 7 – Feb.

5 – A Bíblia Sagrada – João Ferreira de Almeida – João. 15, vers. 1, 4 e 5.

6 – O Livro dos Espíritos – Prolegômenos – Allan Kardec – Feb.

7 – O Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec – Cap. VI – O Cristo Consolador – Feb.

8 –   Ave Cristo! – Introdução – Emmanuel – Francisco Cândido Xavier – Feb.

Compartilhar
Topo Cron Job Iniciado